Freixo - Fraxinus excelsior

Freixo - Fraxinus excelsior

O Frassinus excelsior

Frassinus excelsior é uma das espécies mais comuns entre os freixos. Pertence à família Olaceae e encontra-se presente em toda a Europa. Em nosso país, o excelsior também está presente nos Alpes, atingindo altitudes ainda maiores que 1.500 metros. Os freixos são árvores grandes, o que os torna particularmente adequados para parques ou grandes propriedades. Seus cabelos são claros, decididamente esguios de forma colunar e oval. Já a casca é de cor verde-esverdeada, dotada de lenticelas para as árvores mais jovens. Por outro lado, em espécimes adultos apresenta casca mais enrugada e cor acinzentada. O freixo tem um crescimento muito rápido e tem raízes com a característica de se desenvolver e estender-se longe do tronco, sob a superfície do solo. Portanto, é aconselhável não plantar a árvore perto de edifícios ou cabos subterrâneos. A sua utilização, sobretudo em parques, avenidas arborizadas ou em exemplares avulsos para jardins, encontra apreço sobretudo pela sua folhagem muito decorativa, que confere sombra abundante sobretudo no verão. A cor que as folhas tendem a assumir durante o outono também é apreciada. Nas matas, muito raramente forma grupos em pureza, ou seja, formados por árvores da mesma espécie, mas quase sempre está associada a faia, bordo, carpa e outras coníferas. Por fim, possui madeira de alta qualidade utilizada para móveis, mas também para ferramentas como martelos ou pás. Nota de curiosidade, já foi particularmente utilizado para equipamentos desportivos, como remos ou tacos de hóquei, devido à sua força e resistência que lhe permitem suportar golpes sem lascar.


Folhas, flores, frutas

Particularmente amado, já se disse, pelo patrimônio foliar que confere à árvore uma cor muito quente e sugestiva, principalmente no outono, o frassinus excelsior tem folhas mais precisamente pinadas, formadas de 7 a 11 folíolos, verde escuro, par ee um terminal , que são fechadas por botões negros de inverno. As flores têm uma cor entre o amarelo e o verde e estão reunidas em panículas. Finalmente, os frutos são samaras pendulares.

  • O freixo

    Não há dúvida de que a irrigação desempenha um papel fundamental no desenvolvimento do freixo. Em particular, as árvores cultivadas em um recipiente requerem irrigação mais frequente do que as cultivadas ...

Cultivo

O freixo é semeado em outubro, em vasos enriquecidos com composto especial, rico em turfa e areia. É preciso esperar pacientemente, em alguns casos até 18 meses, para que as sementes germinem. Em seguida, as mudas devem ser transplantadas para o viveiro para serem cultivadas por um período que varia de três a quatro anos, para então serem colocadas permanentemente em casa. Aqui é aconselhável levar um torrão abundante a fim de evitar danos às raízes, como mencionado, sempre muito extenso. Em seguida, é cavado um buraco e adicionado o solo, limitando a operação de fertilização para evitar o crescimento muito rápido, acompanhado, porém, por limitada lignificação dos tecidos e presença de longos internódios.

Dada a grande dimensão de muitas espécies de freixo, uma das mais utilizadas para o seu cultivo no jardim, por necessitar de espaços mais pequenos, é sem dúvida o fraxinus mariesii. Essa árvore, originária da China, atinge alturas que não ultrapassam os oito metros. É esteticamente apreciado pelas suas folhas e flores pinadas de cor tendendo ao branco cremoso, recolhidas em grandes inflorescências abertas, muito visíveis no início do verão. Posteriormente, aparecem frutos roxos igualmente sugestivos.


Exposição

O freixo adora uma posição ensolarada, mas seu crescimento ocorre facilmente, mesmo em áreas ligeiramente sombreadas. Resiste a temperaturas rígidas, mesmo em invernos montanhosos, mas não gosta de calor excessivo em ambientes de planície.


Terra

Sua preferência vai para solos frescos, arejados e ricos em sal, com boa profundidade e fertilidade, além de boa drenagem. O terreno ideal para a cinza no entanto, é argiloso. Adapta-se facilmente até mesmo aos solos mais pedregosos e montanhosos.


Poda

A cinza não requer poda especial. No entanto, um compromisso importante deve ser dedicado à eliminação das ventosas que muitas vezes se desenvolvem com considerável força para cima, inserindo-se na trama dos ramos até se fundirem em alguns casos com o tronco. Portanto, é aconselhável eliminar os caules jovens que apresentam uma atividade polonífera tão intensa desde o primeiro ano de vida.


Parasitas

Um perigo frequente para a cinza é representado pelo polyporus, cogumelo denominado “prateleira” que penetra na casca levando a madeira ao estado de apodrecimento. Atenção também à pequena família, que levando ao apodrecimento do sistema radicular pode causar a morte súbita da árvore.


Cinzas: outras espécies

Entre as outras espécies de freixo mais difundidas encontramos o fraxinus americana, com alturas que chegam a 36 metros, indicado para ser plantado como espécime isolado nos prados, e muito apreciado pela cor, entre o verde e o dourado, que suas folhas assumir no outono. A fraxinus latifolia, de até vinte metros de altura, possui folhas pinadas e fofas. O fraxinus ornus, ou Orniello, que tem alturas mais limitadas, 18 metros, e flores branco-creme sugestivas, coletadas em panículas e muito perfumadas. Finalmente o fraxinus pennsylvanica, com folhas também neste caso pinadas, compostas por 5-9 folhas pequenas fofinho.



Vídeo: #21 Моноколесо Inmotion v11. Правда которую тебе никто не расскажет.