Limão - Problemas com plantas de limão - Limão doente

Limão - Problemas com plantas de limão - Limão doente

O AGRONOMISTA RESPONDE SOBRE COMO CRESCER E CUIDAR DAS PLANTAS

MINHA PLANTA DE LIMÃO ESTÁ EM MAU ESTADO DEVIDO AO FRIO

Página 1 - 2 - 3 - 4 - 5 -6

PERGUNTA DE ALESSANDRO

Egr. Agrônomo,

Eu encontrei seu site e o achei esplendidamente interessante. Sou um entusiasta das plantas, com uma predileção particular por plantas verdes e frutíferas.

Dirijo-me a você sobre um grande problema que tenho com um lindo (até recentemente) limoeiro que tenho em um vaso há 19 anos. Afirmo que gosto muito de você e cuido dele como um filho. Neste inverno, porém, devido à minha mudança de casa, também fui forçado a mover minha amada planta, que infelizmente, devido às geadas repentinas deste inverno e minha ausência por vários dias, agora está bastante ruim.

Em anos anteriores, no inverno, a planta era colocada em uma posição muito abrigada, embora ao ar livre e com condições climáticas bastante adversas (moro em Verona). Este ano a temperatura caiu incrivelmente para -6 graus e, embora estivesse tão protegida como sempre, a temperatura rígida infelizmente reduziu minha planta em condições muito críticas; em vários ramos perdeu as folhas, os frutos que se encontravam na fase de crescimento, apresentam enormes manchas castanhas tendendo ao negro, que vão amolecendo lentamente até cair, e os ramos em questão parecem agora secar, como de verde eles estão lentamente ficando castanhos.

Apenas uma parte da planta se reduz nessas condições, o outro lado parece ter mais ou menos resistido, talvez a parte menos exposta e mais protegida pela parede próxima a qual estava.

Agora a fábrica está em sua nova casa, ela está em uma varanda muito grande no segundo andar de um prédio, em posição de pleno sol da manhã até o final da tarde, abrigada de um lado pela parede do prédio em toda a sua altura (a planta tem cerca de dois metros de altura), e na outra sempre desde um muro baixo por cerca de metade de sua altura. Eu vejo que as folhas antes de cair, mesmo que sejam muito verdes, ficam moles, muito fracas, e depois caem precisamente. Os galhos estão secando aos poucos, como já mencionado, e apenas dois frutos presentes nos galhos, aparentemente ainda verdes, permanecem pendurados.

A esta altura, gentil agrônomo, apelo à sua sabedoria para saber o que devo fazer na tentativa de salvar a planta, pelo menos tentar com aquela parte que no momento parece ainda estar viva e com lindas folhas verdes.


A situação é muito grave e urgente, gostaria de intervir da melhor maneira, o mais rápido possível, sofro de ver a planta neste estado, e não gostaria de cometer ações erradas que pudessem comprometer ainda mais o estado.


Fico, portanto, aguardando ansiosamente sua amável resposta.
Muito obrigado.
Alessandro (6 de março)

AGRONOM RESPOSTAS

Olá Alessandro,

Muito obrigado por "Sua sabedoria", mas não é o caso. Eu só tento ajudá-lo, tanto quanto posso, nada mais.

Pelo que você me disse, a situação não é agradável. Este ano, tanto pelas fortes chuvas como pelo frio, foi um verdadeiro desastre. Você não me diz nada se a planta foi exposta à chuva ou não ou se o vaso foi consertado de alguma forma.

Você me disse que as folhas não mudam de cor nem apresentam áreas descoloridas, mas ficam macias e ainda caem verdes. Isso me deixa otimista, mas por precaução, faça uma verificação deste tipo: tire a pele de uma área "sã" de um galho que está sofrendo perto da parte seca e verifique a cor dos tecidos subjacentes: se eles têm amarelo-laranja cor até avermelhada (como na foto abaixo) em comparação com a cor clara que deveriam ter.
É um escrúpulo, mas é melhor verificar. Vou explicar: a dúvida é que ele pode ter contraído a ferida seca (doença fúngica que é a mais grave que o limão pode contrair causada por um fungo, o Deuterophoma tracheiphila Petri).

Geadas ou temperaturas muito baixas são um verdadeiro cutelo para a planta e você deve ter muito cuidado porque os sintomas não aparecem imediatamente, mas às vezes depois de semanas.

O que acontece com a planta. Digamos que as reações sejam diferentes dependendo dos órgãos afetados. Nos tecidos vegetais, o efeito da geada costuma ser semelhante à desidratação das células (também há casos diferentes). A desidratação das células é a primeira consequência da reação da planta quando a temperatura cai além de certos limites: para concentrar os sucos celulares e, portanto, diminuir o ponto de congelamento, elimina a água das células. Na presença de baixas temperaturas nos espaços intercelulares, a água perdida pelas células forma cristais de gelo. Se a desidratação das células não for excessiva e se as temperaturas voltarem aos valores normais, as células reabsorvem lentamente a água perdida e retomam sua atividade, sem danos; mas se isso não acontecer, com o aumento da temperatura, os tecidos desidratados murcham e ganham um aspecto que agronomicamente se chama "allessatura" (o que se observa nas folhas) e além disso a presença de água nos interstícios intercelulares faz com que o ar escape causando a asfixia de células resultando em sua morte.

Já que você não me contou sobre isso, presumo que não tenha observado nenhum dano aos tecidos lenhosos, ou seja, rachaduras, lesões perceptíveis ou descolamentos da casca. Isso é positivo e não deve surpreendê-lo além da secagem, pois significa que os órgãos lenhosos não foram danificados pelo frio.

Agora, o maior problema que você enfrentou no início está certamente no nível do sistema radicular. Pelo que você escreveu, acho que ele não tomou medidas para proteger as raízes de alguma forma, arranjando o solo, por exemplo, cobertura morta para reduzir a perda de calor do solo (e, portanto, manter uma temperatura mais alta no nível da raiz) e como as temperaturas caíram muito e por longos períodos, o sistema radicular pode ter sido danificado. Isso não seria um dano pequeno, como você pode facilmente imaginar, porque significa que o "coração" da planta pode ter sido comprometido.

Em consideração a tudo isso e supondo que não estamos lidando com feridas secas, antes de tudo aconselho a remover imediatamente os dois limões sobreviventes (é inútil desperdiçar a energia da planta para completar o amadurecimento dos frutos quando você deve se concentrar em sua sobrevivência) e depois queimar o limão para verificar a saúde das raízes. Pegue algumas tesouras (limpe-as bem e desinfete-as sobre a chama antes de usá-las e tente trabalhar da forma mais "limpa" possível) e remova as raízes que eventualmente acharem podres (você ficará macio ao toque) ou mortas por corte pelo menos uma polegada acima da peça danificada. Obtenha um pó fungicida de amplo espectro que você precisará para remover o pó de feridas cortadas.

Em seguida, enxágue novamente e espere pelo menos 7 a 10 dias antes de regar para que as feridas cicatrizem (proteja a planta da chuva também). Em seguida, retome o cuidado normal da cultura e administre um fertilizante (em pequenas quantidades, pois você deve levar em consideração a diminuição da copa e, possivelmente, do sistema radicular) que não seja particularmente rico em nitrogênio (a fertilização excessiva com nitrogênio torna a planta mais sensível às geadas) mas isso tem zinco, cobre e boro que são microelementos necessários para o crescimento dos tecidos, assim como fósforo e potássio que tornam a planta mais resistente ao frio, pois favorecem a concentração de sucos celulares., cuidado, pegue algum material inerte como palha ou aparas de madeira que você vai colocar no chão com cerca de 10 cm de espessura (pressione um pouco) para proteger o chão de quaisquer mudanças bruscas de temperatura e, portanto, de uma perda de calor.

Na parte aérea aconselho que não toquem em nada por enquanto porque a poda estimula a atividade vegetativa da planta e neste momento não é realmente o caso de estimular nada. Somente quando o tempo finalmente estabilizar em temperaturas mais amenas você cortará os galhos mortos.

Para o futuro, se você observar que as temperaturas caem muito, coloque uma folha de plástico transparente sobre a planta, que é a melhor proteção contra o frio para plantas em vasos.

Se o sistema radicular não tiver sofrido danos excessivos e a planta for forte, ela se recuperará. Sejamos otimistas.

Mantenha-me informado.

Dr. M.G. Davoli

Página 1 - 2 - 3 - 4 - 5 -6


Vídeo: Como eliminar pulgão das plantas simples e rápido