Parâmetros geológicos e físicos do Golfo de Salerno

Parâmetros geológicos e físicos do Golfo de Salerno

GEOLOGIA E BIOLOGIA MARINHA

Parâmetros geológicos e físicos do Golfo de Salerno

Dentro Golfo de Salerno a capital provincial, com seus portos turísticos e o porto comercial, onde também atracam navios de cruzeiro e balsas para a Costa Amalfitana, por cerca de seis quilômetros de costa.

Salerno se estende paralelamente à costa, com um passeio reto. Pode apresentar uma variedade de paisagens, tendo ao norte a Costa Amalfitana, com suas costas rochosas, cavernas e pequenas praias, ao sul longas praias que terminam em Cilento, onde se encontram novamente costões rochosos e esplêndidas reentrâncias.

A planície com vista para o Golfo de Salerno foi formada após o colapso do Golfo no Quaternário. É composta por sedimentos aluviais, que formam o fundo do mar, apresentando granulometria psamítica e psefítica, além de material pedregoso e arenoso.

Dois rios deságuam no Golfo de Salerno, o Sele com uma contribuição sedimentar significativa, e o Irno, pouco mais que um riacho.

O pano de fundo tem um declive suave com a profundidade de 50m a quase 5 milhas da costa; possui granulometria arenosa-cascalho, bem como sedimentos e turfa trazidos do Sele e do Irno.

Estudos recentes destacaram um risco sísmico médio-alto.

As correntes afectando o Golfo de Salerno, provêm principalmente do Norte, devido à circulação do Tirreno, que é localmente modificada pela morfologia da costa, de facto, a Península de Sorrento e Capri criam um abrigo desta, modificando-a e permitindo assim a formação de correntes de caráter local, além das de gradiente e deriva.

As correntes de deriva, devido à interação com os ventos, não afetam as fases profundas, pois diminuem de intensidade com o aumento da profundidade; eles são principalmente devidos ao Grecale, o vento predominante no Golfo em Salerno, o Libeccio é uma travessia e o Tramontana e o Maestro estão logo atrás.

As correntes gradientes, devido à diferença de densidade, causada pelas variações entre a temperatura e a salinidade, tendem a diminuir graças à suave inclinação do fundo do mar. Estes também podem se formar devido a uma diferença superficial, talvez causada por um vento forte, então acontece que das correntes de deriva passa-se a correntes gradientes.

A área em questão apresenta uma espécie de proteção contra este tipo de fenômeno, pois as correntes serão fracas e de direção variável.

Deve-se levar em conta que essas correntes gradientes estão, por outro lado, muito presentes e intensas na parte do Golfo de Salerno sobre a qual se avista a Costa Amalfitana.

Do ponto de vista ecológico, o Golfo de Salerno tem características típicas do Mediterrâneo. Também encontraremos extensões de Poseidonia, ainda que em extensão diminuídas em relação a algumas décadas atrás, também devido à pesca de arrasto não regularizada, e todas aquelas espécies típicas deste habitat.

Dra. Rossella Stocco


Vídeo: Salerno..